7 técnicas de memorização para ajudar você nos estudos - Blog da MRH - Carreira, formação e ensino tecnológico no padrão MRH
Carreira

7 técnicas de memorização para ajudar você nos estudos

Estudar, nos dias de hoje, vai muito além de se debruçar sobre uma pilha de livros e fazer diversas anotações. Existem técnicas de memorização e esquemas de estudos difundidos, até mesmo, entre profissionais da pedagogia por sua eficácia. Por que não aproveitar um pouco esse conhecimento e levá-lo para a sua rotina?

Ter uma boa memória depende de muitos fatores, inclusive genéticos. Ainda assim, existem ações práticas que podem melhorá-la em cada indivíduo. Incorpore essas dicas em seu cotidiano e você verá resultados nítidos.

Para além do estudo, em si, a memória é um campo valoroso para toda a sua carreira profissional, por isso, vale muito a pena desenvolvê-la. Preste bastante atenção a essas dicas e eleve sua capacidade de memorização a outro nível! Vamos lá!

1. Explique o conteúdo para outra pessoa

Um parâmetro simples para avaliar o domínio de um tema é observar sua capacidade de “dar uma aula” sobre ele para uma ou mais pessoas. Quando temos que ensinar outro indivíduo, devemos ser bastante claros e objetivos. Para tanto, mobilizamos redes cognitivas importantes ligadas à memória.

Sendo assim, se você consegue transmitir determinado assunto para alguém sem muitas dificuldades, pode-se dizer que tem um domínio sobre o tema.

Quando temos que nos preparar para dar uma aula, mesmo que dentro de uma sessão de estudo, é necessário organizar os pensamentos de uma maneira sistemática e didática isso é o que torna essa técnica de memorização tão eficaz.

Portanto, fazer uma leitura atenta dos textos e organizar suas anotações com essa perspectiva pode ser muito eficaz na fixação dos conteúdos. Mudar sua forma de atuação sobre pontos como esse pode fazer a real diferença e ajudá-lo a crescer enquanto estudante ou profissional.

Um teste ainda mais definitivo é tentar explicar determinado conceito para alguém distante da área em questão, ou que não estude os mesmos assuntos do campo específico. 

Se você consegue ser claro nessa explicação e alcançar a compreensão da parte ouvinte, é bem provável que tenha memorizado tais assuntos adequadamente.

Ainda assim, lembre-se sempre de retornar aos conteúdos estudados mais importantes ou necessários para seus objetivos atuais. É sobre isso que falaremos no próximo tópico!

2. Revise os conteúdos estudados

É muito valioso revisitar os tópicos aprendidos, principalmente se forem exigidos para uma prova de vestibular, de concurso público etc. Entretanto, saiba como fazê-lo. Revisar um conteúdo não é apenas lê-lo novamente da mesma forma — isso seria um gasto enorme de tempo e não traria resultados tão bons.

Para uma revisão eficiente, é necessário passar, com atenção, pelos pontos centrais do conteúdo. Além disso, também é o momento adequado para recorrer às anotações e verificar palavras ou trechos destacados na primeira leitura. 

A revisão pode ser incorporada às suas práticas como uma eficiente técnica de memorização, desde que seja feita da maneira adequada.

3. Resolva exercícios e questões sobre o tema

Outra técnica de memorização eficiente é pensar em soluções para as questões sobre cada problemática. Existe um grande acervo de exercícios disponíveis na Internet sobre os mais diversos temas — muitos deles, inclusive, gratuitos —, no entanto, algumas pessoas têm preguiça de investir seu tempo resolvendo questões e costumam gastá-lo apenas focando na leitura e na elaboração de anotações.

Lembre-se sempre da importância de testar o seu conhecimento e verificar o quanto sabe a respeito de determinado assunto. Se você está se preparando para uma prova específica, é ainda mais vital resolver questões sobre os temas que serão cobrados no exame.

É sempre possível procurar por edições anteriores da prova online, ou por provas similares. Fazer simulados é um meio ainda mais eficaz de exercitar seu conhecimento e memorizá-lo de forma prolongada.

4. Crie músicas para ajudar na memorização

Pode parecer um pouco bobo, mas os efeitos dessa técnica de memorização são evidentes. Não é à toa que muitos professores aclamados de cursinhos preparatórios para o pré-vestibular ensinam seus alunos, sobre os tópicos a serem aprendidos, por meio de paródias musicais.

Aqui, não importa muito fazer sentido ou compor uma bela melodia. Organize as palavras e informações de um modo cantado que facilite sua compreensão e que seja fácil de lembrar.

Essa técnica funciona excepcionalmente bem para memorizar alguns conteúdos, como interações de elementos químicos, fórmulas de física ou matemática e similares. Se os seus assuntos de estudo são mais voltados para outras áreas, também é possível, porém, utilizar essa estratégia  basta ter criatividade.

5. Elabore os resumos posteriormente

Essa ideia busca inverter o padrão normalmente usado pelos alunos. Em vez de escrever e criar um resumo ao longo do seu estudo, primeiro, leia o texto inteiro e, depois, pare para escrever o seu entendimento sobre o que foi lido.

Caso queira, faça pequenas anotações pontuais ao longo da leitura ou grife palavras ou pequenas frases importantes. No entanto, não mantenha seu foco tão voltado para essa prática, considerando a relevância de destacar apenas o que há de mais fundamental em cada parágrafo de forma curta.

6. Faça e escute gravações

Uma forma prática de transcrever seus raciocínios e acessá-los depois é gravando áudios com seus comentários e interpretações sobre o conteúdo. Com a difusão dos smartphones, qualquer pessoa tem um gravador potente à mão.

Mesmo que você não venha a ouvir todos os arquivos com atenção depois, só o ato de registrar algo em áudio já o faz ter outra percepção sobre o que será dito. De qualquer maneira, procure ouvir suas gravações, pelo menos, uma vez antes de deletá-las.

Essa técnica é útil para momentos nos quais você quer estudar, mas não pode ler, como na hora de lavar a louça ou durante um deslocamento no transporte coletivo.

7. Identifique o seu modo particular de memorização

Cada pessoa tem uma maneira muito individual de absorver os conteúdos. Algumas percebem um melhor desempenho assistindo a vídeos, outras, com podcasts, e ainda existem aquelas que têm melhor aproveitamento com aulas presenciais.

Não existe uma maneira correta ou mais eficiente de fixar o conhecimento  tudo depende da forma de aprendizado de cada um.

Ademais, existem estudantes que preferem aprender pela Internet, enquanto outros optam por fazer seus estudos offline. Se você é uma pessoa que adora assistir a vídeos, procure por aulas do assunto em questão no YouTube.

A sua afinidade com o tipo de mídia utilizada pode ter muito impacto na sua forma de aprender.

Como dissemos, hoje, estamos muito distantes daquela realidade na qual tínhamos os livros físicos como única forma legitimada de acesso ao conhecimento. A memória é um fator essencial para ter um bom resultado nos estudos. O tempo e os recursos que temos nem sempre são os que gostaríamos, por isso, vale se empenhar para melhorar esses fatores.

Cada pessoa tem uma forma particular de aprendizagem, como mencionado. Por isso, fique atento e use as técnicas de memorização mais adequadas para suas necessidades, independentemente de ser uma pessoa normalmente “esquecida” ou já conhecida como detentora de boa memória. De qualquer forma, tenha em mente que esse é um campo que pode ser melhorado com a prática constante. 

Com a leitura deste texto, você aprendeu ótimas dicas para ter uma memória melhor, não é? Que tal, então, seguir as nossas páginas nas redes sociais — Mrh Mercado, MrhFancine e MrhTech — e acompanhar outros ótimos conteúdos sobre a temática? Não perca essa oportunidade!

Você pode gostar
6 profissões que estão em alta no momento
Por que um MBA pode ser considerado um investimento a longo prazo?

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This