Perfil profissional: existe um que é mais desejado pelo mercado? - Blog da MRH - Carreira, formação e ensino tecnológico no padrão MRH
Carreira

Perfil profissional: existe um que é mais desejado pelo mercado?

Definitivamente (e felizmente!), as pessoas não são iguais. Cada uma tem personalidade, características e habilidades próprias, formando um conjunto único.

A boa notícia é que as empresas também precisam dessa diversidade para o desempenho de atividades complementares e o seu perfil profissional com certeza se encaixará em alguma dessas necessidades. 

Se, mesmo assim, você ficou curioso e quer saber se existe um perfil profissional mais desejado ou valorizado pelo mercado, continue a leitura! Vamos falar sobre os principais tipos de colaboradores e por que eles são importantes para as companhias. Pronto para começar?

Os diferentes tipos de perfil profissional

Como já falamos, cada pessoa é única. Por isso, não é incomum encontrarmos quem tenha algumas das características a seguir um pouco misturadas. Mas, para facilitar, vamos classificar os perfis profissionais em 8 tipos. Saiba quais são:

1. Pioneiro

Esse é um perfil que muita gente admira! Normalmente, ele é típico daqueles grandes empreendedores que encaram o desafio de apresentar um produto (ou serviço) novo ao mercado, transformando o que era desconhecido em algo indispensável.

Esse tipo de profissional é otimista e acredita que sua ideia vai dar certo. Ele também não consegue ficar parado — parte para a ação mesmo! Enquanto a maioria das pessoas tem medo do risco, o pioneiro encara as adversidades como um combustível que motiva a superação.

Henry Ford costumava dizer que, se tivesse perguntado o que os consumidores queriam, eles teriam pedido um cavalo mais rápido. Em vez disso, ele criou o automóvel. Pioneiros são assim!

2. Criador

O criador tem uma visão própria do mundo. Ele enxerga aquilo que as outras pessoas não costumam ver para, então, elaborar suas obras e invenções.

É bom observar que nem todos os criadores são pioneiros. Eles podem ter ótimas ideias, mas nem sempre contam com a ousadia necessária para fazer com que elas se tornem um sucesso.

Porém, quando a empresa reconhece essa qualidade e coloca o criador para trabalhar junto com o pioneiro, a mágica acontece. Um complementa o outro com suas qualidades, garantindo um diferencial competitivo.

3. Planejador

Mesmo que não seja uma grande inovadora, a empresa sempre vai precisar de uma cabeça para planejar suas ações. O perfil planejador consegue enxergar o cenário e o mercado como um todo, prever as tendências da sociedade e traçar uma rota para alcançar resultados.

Ele também imagina os obstáculos que encontrará no caminho e as soluções necessárias para superá-los. Sua competência permite encaixar cada pessoa em seu devido lugar, para que elas trabalhem como um time até atingirem seus objetivos.

4. Executor

Apesar de o planejador ter toda essa visão, ele nem sempre sabe a melhor forma de fazer um projeto sair do papel e se transformar em realidade. É aí que uma peça complementar ganha importância: o executor.

Esse é o perfil que arregaça as mangas, distribui tarefas, orienta o pessoal e faz as coisas acontecerem. Ele encara os desafios e não fica desanimado com as dificuldades que encontra, sempre buscando por uma solução para os obstáculos.

5. Conselheiro

É bom lembrar que, antes de dar um conselho, esse perfil tem outra qualidade: conseguir enxergar soluções. Ele tem muita facilidade para analisar um problema e encontrar uma saída melhor.

O conselheiro costuma ter um pensamento lógico muito aguçado e uma intuição forte. Além disso, consegue enxergar as situações pelo ponto de vista do outro e, dessa forma, convencê-lo de que suas ideias são válidas.

6. Professor

Para sua surpresa, nem todos os professores estão em uma sala de aula. Você pode encontrar um em seu próprio trabalho, na mesa ao lado.

As pessoas que têm essa característica são aquelas que sempre querem ver quem está à sua volta crescendo e se desenvolvendo. Elas são fundamentais nas empresas, pois ensinam aquilo que nenhuma escola consegue: os truques que só a experiência mostra.

Muitas vezes, os professores se tornam mentores dentro das companhias — eles “adotam” funcionários esforçados e dão a base de que eles precisam para se transformar em experts na profissão.

7. Compensador

O compensador funciona como uma espécie de régua da organização. Trata-se daquele sujeito que conhece a forma certa de fazer alguma tarefa e age com objetividade, transparência e justiça.

Esse tipo de perfil é muito indicado para analisar as situações e encontrar gargalos (ou erros). Ele costuma ser extremamente responsável e organizado, tendo pleno controle de suas atividades.

Nem todo mundo gosta do compensador, pois esse tipo de profissional não tem nenhum receio de chamar a atenção de quem não está cumprindo seu papel da maneira correta. Mas ele é muito importante para não deixar o negócio “perder o rumo”. 

8. Influenciador

Sabe aquela pessoa que dá uma ideia na hora do cafezinho e, quando menos se espera, todo mundo já está fazendo o que ela falou? Esse é o influenciador! Nem sempre ele fala algo com o objetivo de convencer ou liderar, mas isso é inevitável.

O influenciador é autoconfiante, cheio de argumentos e persuasivo. Em uma empresa, ele é aquele indivíduo que consegue mobilizar os outros diante de um projeto e contagiar todo mundo com seu entusiasmo.

Não é difícil chegar à conclusão de que as pessoas com esse perfil se dão muito bem como líderes. O influenciador consegue que outros colaboradores façam o que ele deseja (e, ainda, que fiquem felizes por isso).

A verdadeira importância do perfil profissional

Na verdade, todos os perfis são necessários para que as organizações consigam realizar suas diferentes atividades e alcançar o sucesso. Imagine, por exemplo, se uma companhia contratasse apenas os planejadores: haveria muitos planos, mas eles dificilmente sairiam do papel.

Por isso, o autoconhecimento é fundamental. Seu perfil mostra em que tipo de trabalho você tem mais chances de se dar bem sem sofrer grandes desgastes. Afinal, quando a gente faz aquilo que gosta e tem habilidade, fica muito mais fácil alcançar bons resultados.

Além disso, o mais importante é saber que, independentemente de seu perfil, você vai precisar desenvolvê-lo para ter sucesso na vida profissional. Todos têm seus pontos fortes — que devem ser aprimorados — e, também, os pontos fracos, que requerem correção.

Somente com esse esforço e 100% de dedicação será possível tornar-se um profissional diferenciado. A partir daí, vai ficar fácil conquistar seu lugar no mercado de trabalho e o merecido reconhecimento.

E então? Já descobriu qual é seu perfil profissional? Deixe um comentário contando sua experiência!

Você pode gostar
Vale a pena fazer cursos de curta duração? Como escolher?
Estudar ou empreender: é possível fazer as duas atividades?

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This