Tenho dificuldade em aprender e pouco tempo para estudar: o que fazer?
Formação

Tenho dificuldade em aprender e pouco tempo para estudar: o que fazer?

Estudar nem sempre é uma tarefa fácil. Para quem tem dificuldade em aprender e dispõe de pouco tempo para focar nos estudos, então, conciliar as responsabilidades se torna um desafio ainda maior. No entanto, você sabia que existem formas de não deixar que isso interrompa seus planos de progredir na carreira?

Com algum esforço e técnicas de estudo apropriadas, é possível melhorar seu rendimento e aproveitar cada minuto dedicado às atividades. Também é importante adotar hábitos que ajudam a manter o foco, dando ênfase no que é prioridade no momento.

Quer entender, de uma vez por todas, essa situação e saber como obter melhores resultados nos estudos? Confira neste post!

Entenda o que é dificuldade de aprendizado

A dificuldade em aprender é mais que somente uma questão simples, podendo envolver uma condição mais específica e que nada tem a ver com capacidade intelectual. Diferentes pessoas têm maior facilidade ou mais resistência em lidar com determinados conteúdos, e essa dificuldade pode ter uma série de causas.

Há duas formas de dificuldade de aprendizado que podem ser discutidas: aquela em que a pessoa só tem seu tempo específico, demorando um pouco mais para aprender determinados assuntos, e a situação em que, de fato, há uma causa para isso, classificada como transtorno. Em cada uma dessas situações, é possível superar as dificuldades, porém, há esforços e necessidades diferentes para elas.

Diferenciando dificuldade de transtorno

Entender melhor essa questão passa pela compreensão das diferenças entre a existência de uma dificuldade em aprender e a condição de um transtorno que torne tudo mais difícil. Geralmente, essa informação é obtida por meio de diagnóstico médico e, usualmente, ainda na infância, quando a criança começa a ter dificuldades na vida escolar.

A dificuldade se configura quando há um esforço maior para o entendimento de ideias não tão complexas, de modo que a pessoa apresenta um tempo de aprendizagem diferente, geralmente mais lento do que o normal. Essa situação pode estar associada a questões pessoais, como problemas de relacionamento, ou simplesmente a questões de personalidade.

Já no transtorno, há algo mais concreto que dá origem a esses entraves na hora de aprender. Questões neurológicas são, geralmente, o ponto principal, interferindo diretamente na capacidade cognitiva do indivíduo.

Nesses casos, não há questões emocionais ou problemas de relacionamento, apenas uma inexplicável, superficialmente falando, dificuldade em aprender qualquer coisa. Uma vez diagnosticado, esse transtorno pode ser tratado com acompanhamento médico.

Conheça as principais causas do transtorno de aprendizado

Quando o transtorno está presente, a situação é mais profunda, funcionando como uma espécie de doença. Há algo mais ligado à condição de saúde da pessoa, que se manifesta em momentos em que ela precise usar sua capacidade cognitiva, como na escola ou, até mesmo, na hora de estudar para um vestibular ou para as provas da universidade.

Dentro dessa situação, há diferentes tipos de transtorno — cada um deles afetando a vida de quem os enfrenta de diferentes formas. Entender os principais é fundamental para saber como influenciam a questão da dificuldade em aprender.

Dislexia

A dislexia é um problema muito comum e que se manifesta especialmente na capacidade de leitura de uma pessoa. Esse transtorno gera uma dificuldade na associação de símbolos, o que é comumente feito para ler, dificultando muito o aprendizado e, mesmo após essa etapa, causa alguns problemas.

Um adulto disléxico costuma ter dificuldades também na escrita, o que gera erros de concordância e de grafia. Na hora de estudar, esse entrave pode ser bastante incômodo, atrapalhando na produção de textos e na sua compreensão. Assim, naturalmente, a aprendizagem fica prejudicada.

Discalculia

A discalculia também é bastante específica e atua diretamente na capacidade de uma pessoa aprender números, de uma forma geral. Entender operações matemáticas e conceitos relacionados à cálculos se torna uma grande dificuldade, o que prejudica o estudo de disciplinas específicas, em que os números são indispensáveis.

Essa dificuldade aparece tanto na identificação de sequências numéricas quanto na realização de operações matemáticas básicas, como cálculos, expressões e equações.

Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)

O TDAH é um dos transtornos mais comuns e que, muitas vezes, não é tão bem compreendido pela sociedade. Quando criança, a pessoa que sofre dessa condição precisa de muita compreensão e apoio dos pais, que devem entender que a agitação em excesso e a total falta de concentração são questões totalmente à parte do simples comportamento e da personalidade.

Em relação à dificuldade em aprender, o grande problema é a falta de atenção. Para essas pessoas, é difícil passar muito tempo concentradas em alguma coisa, por exemplo, na leitura de um texto ou na explicação de um conteúdo. Como consequência, o aprendizado fica prejudicado, acontecendo de maneira mais lenta e requerendo maior esforço.

Dislalia

Apesar de ter uma relação menor com o aprendizado, a dislalia vale o destaque, pois está diretamente relacionada à fala. Quem sofre desse problema tem dificuldade em pronunciar palavras e costuma trocar algumas, pronunciando errado letras aleatórias.

Disortografia

A disortografia é um transtorno relacionado à escrita, sendo, muitas vezes, uma consequência da dislexia. Nesse caso, há a dificuldade da escrita quanto a termos de ortografia, mas também a dificuldade em desenvolver pensamentos escritos que tenham uma conexão correta, com ideias bem encaixadas.

Como consequência, essa dificuldade pode desenvolver, até mesmo, o desinteresse pela escrita, o que, na infância, traz grandes problemas no aprendizado.

Veja como vencer essas dificuldades

A dificuldade em aprender, independentemente de ser uma questão mais particular ou causada por um transtorno, pode ser superada por meio de acompanhamento médico especializado e pela adoção de hábitos positivos.

No dia a dia, você pode adotar novas práticas e focar em atividades que vão apresentar melhoras significativas na sua capacidade cognitiva. A seguir, veja como superar essas questões e ter um melhor desempenho com os estudos.

Descubra seu horário de maior produtividade

Todos têm um horário em que a cabeça funciona melhor, não é mesmo? Essa é uma questão muito simples e particular, relacionada a hábitos e ao dia a dia de cada pessoa. Nem todos podem se dar ao luxo de escolher um horário, mas se você tem essa liberdade, valorize-a muito!

Busque sempre planejar o seu dia em torno do seu período de estudos, escolhendo o momento em que você está mais ativo e mais capacitado para aprender. Assim, você tem maiores capacidades de superar qualquer tipo de dificuldade que possa surgir.

Para melhorar ainda mais a produtividade desse período, procure descansar e resolver todos os seus outros compromissos, para que nada interrompa os estudos — nem o cansaço e nem outra obrigação. Com foco total e disposição, certamente, seu aproveitamento vai ser otimizado.

Pratique exercícios para ativar a mente

O foco em atividades importantes no dia a dia acaba ficando sempre entre estudos e trabalho, porém há coisas que vão além disso e podem justamente trazer benefícios nessa parte, como a prática de exercícios.

Isso acontece pois os exercícios aumentam a atividade do cérebro, ou seja, deixam-no a todo vapor, melhorando a capacidade cognitiva e a criatividade. Pode ser um ótimo hábito dar uma corrida ou caminhar antes de começar a estudar. Isso vai fazer seu desempenho ser muito melhor.

Evite distrações e concentre-se

Tudo se torna mais interessante ao nosso redor quando precisamos estudar, não é mesmo? Se você quer ter sucesso no aprendizado, porém, é preciso se livrar das distrações. A concentração é fundamental nesse processo, especialmente para quem tem pouco tempo para estudar e alguma dificuldade com a matéria.

Livre-se de tudo aquilo que possa desviar o seu foco na hora de estudar. Os smartphones, por exemplo, são grandes inimigos da produtividade, então deixe-os bem longe e desligue as notificações das redes sociais. Para quem tem dificuldade em aprender, essa prática é ainda mais importante.

Caso esteja estudando no computador, lembre-se de fechar todas as abas desnecessárias no navegador: acredite, elas podem ser uma tentação! Tenha em mente que esse tipo de distração toma muito do seu tempo e deixa você desconcentrado, interferindo na sua capacidade de aprendizado.

Seja organizado e crie um cronograma de estudos

Organização é fundamental para fazer render o pouco tempo que você tem disponível para estudar. Por isso, os assuntos que serão abordados precisam estar devidamente separados em um cronograma. Para a nossa sorte, fazer isso é simples!

O primeiro passo aqui é separar quais dias na semana e quais horários poderão ser dedicados ao estudo. Depois, distribua todo o conteúdo nesses períodos, sem se esquecer de nada importante. Essa distribuição será um direcionamento fundamental para que você aproveite melhor o tempo livre para estudar, mesmo que ele seja pouco.

Fazendo isso, você conseguirá um grande acréscimo nos níveis de concentração e aprendizado, pois não precisará perder tempo pensando nas demais tarefas. Afinal, todas elas terão o seu espaço na agenda.

Aproveite os conteúdos disponíveis na Internet

Nem só de redes sociais vive a Internet: lá, também é possível encontrar conteúdos úteis para os estudos! Muitos deles são gratuitos e costumam ser acompanhados de explicações bastante detalhadas — em vídeo ou em texto.

Esses materiais podem ser de grande ajuda para entender aquele assunto mais complicado, e o melhor é que você pode estudar de qualquer lugar, seja no ônibus, indo para o trabalho, seja na sala de espera de um consultório, por exemplo. Ótima maneira de aproveitar um tempo que, de outra forma, seria desperdiçado, não é?

Os conteúdos abordam diversas dúvidas comuns aos estudantes, o que faz com que eles sejam bem abrangentes, mas também importantes. Assim, eles funcionam como uma ótima alternativa às aulas particulares, contribuindo para o aprendizado de quem não tem acesso a esse recurso.

Pratique o que aprendeu fazendo exercícios

Colocar a teoria em prática é parte fundamental do processo de aprendizado de qualquer estudante. Muitas vezes, achamos que determinado assunto é complicado, mas quando pegamos um exercício para resolver, entendemos melhor determinado conceito.

A teoria é fundamental, mas ela não valerá muito sem o devido treinamento. Portanto, divida sempre o tempo de estudos de determinada matéria entre a leitura e a realização de exercícios. Você consegue encontrar bons materiais na Internet, incluindo enunciados já resolvidos com explicações completas de como chegar ao resultado.

Eleja suas prioridades e mantenha o foco

Os estudos são sua prioridade, certo? Então, isso deve refletir na maneira como você utiliza seu tempo! Não desperdice horas valiosas do seu dia com outras coisas que não têm tanta importância. Tenha sempre em mente que os estudos farão toda a diferença na sua vida, então, qualquer outro compromisso menos importante deve ficar para depois na sua lista de prioridades.

Não adie o início dos estudos. O cansaço pode falar mais alto, assim como outras atividades de relaxamento podem parecer mais interessantes. No entanto, é importante ter em mente que, quanto mais cedo você começar a estudar, melhor será o seu rendimento e maior será o aproveitamento em relação ao tempo livre.

Comece pelo assunto mais difícil

Comece os estudos por aquela matéria que apresenta maiores dificuldades. Essa dica pode parecer estranha, mas é muito valiosa para melhorar seu desempenho diante dos assuntos mais difíceis.

Quando você inicia a sua rotina com as matérias mais problemáticas, o seu cérebro identifica mais rápido a necessidade de trabalhar em um ritmo acelerado. Com isso, ele responde mais ao seu esforço, fazendo você entender, de forma mais fácil, até os temas mais complicados.

Esse pequeno ato fará com que você trabalhe sempre muito próximo do seu maior nível de concentração e raciocínio, melhorando sua capacidade e reduzindo o tempo de aprendizado. Se você tem problemas com procrastinação, experimente começar por uma matéria mais fácil para “aquecer” o cérebro, pegando a difícil logo em seguida.

Faça resumos e anotações

Especialmente para as disciplinas mais teóricas, é importante que você escreva tudo que ler. Faça isso em forma de resumos, anotando o que achar mais importante dentro do material que estiver estudando. Essa técnica de fixação oferece ótimos resultados, em especial para quem tem mais dificuldade e pouco tempo disponível para se dedicar aos estudos.

A escrita ajuda você a reforçar aquilo que acabou de absorver, funcionando como uma espécie de chancela das ideias abordadas no estudo. A inclusão desse hábito trará bons resultados, independentemente do nível de dificuldade das disciplinas.

Tenha força de vontade e determinação

Mantenha-se forte e focado no seu objetivo. A rotina apertada, a dificuldade em aprender e as disciplinas mais difíceis serão obstáculos na sua caminhada em prol da busca por uma profissão. É preciso saber que esses fatores acompanham a maioria dos estudantes que buscam um futuro melhor.

Lembre-se sempre do seu propósito para os estudos e tenha em mente que o esforço e a dedicação são os combustíveis necessários para superar tudo que, naturalmente, está separando você do sucesso. Siga firme na sua caminhada de estudos, mesmo que o tempo seja curto e os assuntos fiquem complexos.

A dificuldade em aprender ficará cada vez menor e você se sentirá mais confiante à medida que seguir essas dicas valiosas. Agora, você já sabe como melhorar seu desempenho nos estudos!

Gostou deste post? Quais das nossas dicas você já aplica no seu dia a dia? Deixe seu comentário e divida sua experiência conosco!

Você pode gostar
Planejamento financeiro para estudantes: como lidar melhor com seu dinheiro?
6 dicas para quem realmente quer passar no vestibular!
1 Comentário

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This