Como economizar dinheiro para investir na Graduação em 6 Passos
Formação

Como economizar dinheiro para investir na Graduação em 6 Passos

Você está começando sua vida profissional e quer melhorar seu status, mas ainda não decidiu ou não tem condições financeiras de começar uma faculdade de 4 anos? Então, que tal investir em um curso tecnológico?

Essa é uma boa oportunidade para estudar, encontrar novas oportunidades e mudar sua vida profissional. Sem contar que é um bom investimento a longo prazo, pois sua formação será mais rápida, prática e você chegará antes no mercado de trabalho.

Mas, afinal, o que fazer para economizar dinheiro e iniciar o curso tecnológico? Neste post, vamos explicar melhor o que essa graduação representa e trazer dicas que vão ajudá-lo a guardar dinheiro para começar a estudar.

Continue nos acompanhando e confira!

Como investir em um curso tecnológico

Essa é uma graduação muito conhecida e que se tornou uma alternativa bem interessante para quem deseja entrar rapidamente no mercado de trabalho. O chamado tecnólogo é um curso de nível superior com duração menor — geralmente, entre 2 ou 3 anos.

Com seu foco voltado para o lado prático, a principal diferença para um bacharelado ou licenciatura é a formação, que é mais direcionada, enquanto na graduação tradicional é bastante ampla. O resultado é que o estudante se torna um profissional mais preparado, que age com desenvoltura no mercado.

É por isso que o curso tecnológico é um investimento de longo prazo. Você emprega seu dinheiro, mas, ao mesmo tempo, consegue ter o retorno do capital aplicado. Afinal, consegue uma colocação melhor no mercado de trabalho e pode começar a realizar seus sonhos.

No entanto, muita gente ainda fica em dúvida sobre como ter ou juntar dinheiro para poder investir em um bom curso. É o seu caso? Então, veja algumas dicas que ajudam nesse processo:

Poupe uma quantia mensal para cobrir os gastos com o curso

O salário que você já recebe precisa ser economizado para garantir que a mensalidade do curso possa ser paga. Esse é um esforço que vale a pena, porque, como você já percebeu, obterá o retorno rapidamente.

A dica é calcular quais são seus gastos atuais e verificar o valor da mensalidade. Veja quanto precisará poupar e identifique as contas que podem ser cortadas ou reduzidas.

Se possível, tente economizar um pouco mais para evitar imprevistos e permitir que você possa fazer algum passeio ou comprar algo de que precisa para o curso tecnológico.

Diminua os gastos com lazer

Isso não significa que você precise ficar o tempo todo em casa. Sair é normal e bastante positivo. No entanto, tente fazer passeios mais baratos.

Por exemplo: que tal trocar a balada e o happy hour por uma festinha na casa de um amigo? Ou substituir o cinema pela assinatura de um serviço de streaming, como a Netflix?

Você ainda deve saber dizer “não” quando necessário. Assim, evite aceitar um convite extravagante de um amigo e sempre pense nas consequências antes de fazer compras com o cartão de crédito.

Tenha em mente que os seus estudos devem ser prioridade. Por isso, deixe o resto em segundo lugar. Vai valer a pena.

Estabeleça metas para seus gastos

Seu salário é utilizado e você nem precisa pensar nos gastos? Essa situação muda a partir da sua entrada em um curso tecnológico. É importante revisar todas as suas despesas atuais.

Uma dica é fazer uma planilha financeira simples. Você pode criar uma do zero, baixar alguma da internet ou usar um aplicativo de finanças pessoais. Anote todos os gastos que tiver, mesmo os menores, como o chocolate após o almoço.

Você perceberá que despesas que parecem pequenas — como a de passeios, roupas e almoços — podem ser grandes vilãs do seu orçamento. A partir disso, estabeleça um teto para cada categoria. Por exemplo: R$ 100 para roupas, R$ 150 para cabeleireiro, R$ 50 para passeios…

Observe que esses valores são aleatórios. Você deve definir o seu teto considerando sua renda. Lembre-se de manter um montante reservado para o curso e de economizar mais um pouco para ter uma quantia extra disponível.

Evite comer fora de casa

Esse é um dos gastos que consome um valor considerável da renda, mas que nem sempre é percebido. Por isso, a maioria dos economistas indica deixar as refeições fora de casa de lado quando o objetivo é economizar.

Comprar os alimentos no supermercado é bem mais barato e você também pode ter uma alimentação mais saudável. Se a sua objeção a essa prática é a falta de tempo para cozinhar durante a semana, sem problemas! Basta deixar as refeições preparadas no sábado ou domingo e levar a marmita nos dias úteis.

Compre à vista sempre que possível

Um erro comum cometido pelos mais jovens é o consumo desenfreado no cartão de crédito, já que é possível parcelar o gasto. Essa situação contribui para o número alto de inadimplentes no Brasil, que chegou a 60,6 milhões em julho de 2017, conforme a Serasa Experian.

Por isso, o ideal é sempre pagar à vista, mesmo que a venda a prazo não tenha juros. Tenha em mente que as aquisições a prazo sempre têm custos adicionais — o que significa que pode ser solicitado um desconto quando for pago na hora.

Se você não conseguir um abatimento do preço, tem duas opções: procurar outro estabelecimento e entender que, pelo menos, vai conseguir manter suas finanças mais organizadas.

Busque programas de financiamento estudantil

Seguindo esses passos, você tem ótimas chances de conseguir investir na sua formação profissional. Mas há ainda Programas de Financiamento Estudantil que podem te ajudar a realizar esse sonho.

Um deles é o Educa Mais, o maior programa dessa modalidade no país, que possui parceria com mais de 18 mil instituições de ensino superior. A bolsa é parcial e pode chegar a 70% do valor da mensalidade.

O programa abrange as modalidades:

  • graduação;
  • pós-graduação;
  • educação básica;
  • cursos técnicos;
  • cursos livres;
  • cursos de idiomas;
  • preparatório para concursos;
  • pré-vestibular;
  • Educação de Jovens e Adultos (EJA).

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site Educa Mais Brasil.

Os critérios para concessão de bolsas são: existência de vagas, falta de condições de pagar a mensalidade integral e inexistência de vínculos entre o aluno e a instituição de ensino — exceto para a pós-graduação, que o estudante pode ter feito a graduação na mesma faculdade.

E agora, já sabe o que precisa fazer para economizar dinheiro para investir em um curso tecnológico? Aproveite e receba várias dicas interessantes no seu e-mail assinando a nossa newsletter.

Você pode gostar
Você sabe o que é um vestibular agendado? Conheça 7 vantagens
7 cuidados na hora de se inscrever para um vestibular

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This