Fique por dentro: 6 dicas para se tornar um bom palestrante - Blog da MRH - Carreira, formação e ensino tecnológico no padrão MRH
Carreira

Fique por dentro: 6 dicas para se tornar um bom palestrante

Esportistas vitoriosos, artistas, líderes, profissionais de sucesso, especialistas em determinada área — hoje muitas empresas e instituições chamam essas pessoas para compartilharem seus conhecimentos por meio de palestras. Já pensou que você pode desempenhar esse papel? Quer saber como? Então confira nossas dicas para se tornar um bom palestrante a abra as portas do mercado! 

Por que se tornar um palestrante? 

Para quem está buscando um lugar no mercado de trabalho, é sempre bom conhecer as oportunidades que ele oferece. Por isso, não poderíamos deixar de falar sobre a opção de se tornar palestrante. 

Esse tipo de trabalho está despertando o interesse das companhias e ganhando destaque. O motivo para esse crescimento é que as empresas finalmente perceberam a importância de desenvolver seus colaboradores. 

Então, hoje elas contratam palestrantes para alcançar diferentes objetivos: realizar treinamento com funcionários ou departamentos específicos e desenvolver habilidades, trazer a realidade do mercado ao grupo de gestores, motivar colaboradores ou promover hábitos que contribuem para a saúde e qualidade de vida.

Além da contratação pelas empresas, também existe uma procura individual. Os profissionais sabem que precisam estar qualificados para o mercado e veem esses eventos como uma boa oportunidade de adquirir conhecimento e turbinar seu plano de carreira.

Assim, tanto a busca pelo autodesenvolvimento, quanto a necessidade de capacitar colaboradores abrem as portas para a atuação do palestrante, o que pode se transformar numa boa opção também para você. 

Como se tornar um bom palestrante? 

Gostou da ideia de se tornar um palestrante? Então separamos 6 dicas que você não pode ignorar para ter sucesso nesse mercado. Confira!

1. Escolha seu tema

Os palestrantes mais valorizados pelo mercado são os especialistas. Então, o primeiro passo para ter sucesso nessa área é escolher um tema que você domine e realmente se especializar nele. 

Isso não significa que você não poderá proferir palestras diferentes ou conversar com públicos completamente distintos. Entretanto, é importante que, em todas elas, exista um eixo central baseado em um assunto que realmente conheça. 

O Bernardinho, por exemplo, faz diversas palestras. Ele foi jogador de vôlei, técnico de times vitoriosos e campeão com a Seleção Brasileira. Nos eventos que participa (e no livro, também), ele fala sobre vôlei e experiência esportiva. 

É lógico que ele aplica essas histórias a diferentes contextos. Então, os ensinamentos podem ser colocados em prática por administradores, vendedores, empreendedores, entre outros. Mas ele não se aventura em outro assunto como medicina, por exemplo.

Portanto, o primeiro passo é escolher o tema pelo qual você quer se tornar conhecido. Quanto mais genérico ele for, mais concorrência terá. Ser específico é a chave para se diferenciar no mercado. 

2. Invista em conhecimento

Poucas características queimam um palestrante no mercado tanto quanto a superficialidade. Quando alguém chega à frente de um público e fala apenas o óbvio, a plateia sente que perdeu seu tempo — e às vezes, dinheiro. 

Por essa razão, pense que o conhecimento vai ser a sua principal aquisição. Leia muito sobre o assunto, assista a outras palestras sobre o tema e aproveite todas as facilidades que a internet traz para conferir vídeos, textos, slides e outros materiais relacionados. 

É muito importante que, além daquilo que você vai falar durante a palestra, você tenha uma reserva de conhecimento adicional. Durante o evento, selecione apenas os fatos e ideias mais relevantes, mas é fundamental conhecer toda a base que levou a eles.

Para a palestra ficar interessante, não precisa citar cada estatística, pesquisa ou metodologia que o levou a uma determinada conclusão. Mas você deve sabê-los por dois motivos: em primeiro, para ter certeza do que está dizendo e, em segundo, por que se for questionado, terá argumentos que validem sua posição. 

3. Conheça pontos de vista diferentes

É importante que o palestrante não seja um “papagaio de pirata”, que sai simplesmente repetindo o que leu em um livro ou ouviu de outro palestrante. Também não pode parecer bitolado ou alienado, demonstrando que conhece um único ponto de vista. 

Portanto, não tenha medo de conhecer opiniões diferentes e até mesmo conflitantes. Elas podem fazê-lo mudar de ideia ou fortalecer as que já tem, aumentando sua convicção e argumentação na hora de tratar de algum assunto.

Além disso, conhecer pontos de vista diferentes pode lhe garantir insights que outras pessoas não tiveram. Sabe quando um palestrante fala algo completamente inovador, mas que ao mesmo tempo os ouvintes pensam “como eu não tinha pensado nisso antes”? Essa é uma das vantagens de agregar linhas de pensamento distintas. 

4. Estude seu público-alvo

Para quem você vai falar? Como sua palestra pode ser realmente útil para esse grupo de pessoas? Essas perguntas precisam estar na sua mente o tempo inteiro enquanto prepara sua apresentação. 

Afinal, aquela plateia vai passar algum tempo sentada ali, ouvindo o que você tem a dizer. Para que seu trabalho seja valorizado, esse grupo precisa sair do local com a sensação de que valeu muito a pena, disposto a contar isso a outras pessoas. 

Então, dedique-se a estudar seu público-alvo. Descubra quem são eles, o que fazem, que problemas enfrentam e como seu conhecimento pode ajudá-los a solucioná-los. Fique de olho no conteúdo que consomem para saber o que pesquisam e converse com eles nos intervalos de suas apresentações e sempre que possível. 

A partir dessa observação, planeje suas palestras com esse foco. Garanta que as informações que vai trazer sejam relevantes para essas pessoas, que realmente as ajudem a atingir seus objetivos. 

5. Aperfeiçoe sua oratória

Até agora nós mostramos como você pode investir no conteúdo e torná-lo relevante para o seu público. No entanto, isso não é suficiente. Para que o momento da palestra seja agradável, você também precisa caprichar na forma da apresentação. 

Afinal, ficar sentado ouvindo alguém falar de forma monótona é muito desestimulante, por melhores que sejam as informações. Mas a apresentação também não pode ser extremamente teatral ou artificial (a menos que tenha uma encenação envolvida).

Então, invista no aperfeiçoamento da sua oratória. Seja espontâneo e sincero, mas capriche na entonação. Saiba combinar momentos de maior entusiasmo com outros mais naturais. 

Grave suas apresentações e assista para aperfeiçoá-las. Tente perceber cacoetes, postura e gestos equivocados, repetições exageradas (né, então e outras), dificuldades de dicção ou momentos em que as ideias não são tão claras.

Sempre que possível, peça ajuda profissional. Você pode recorrer a um fonoaudiólogo ou a amigos honestos para analisar a sua fala e contribuir com possíveis melhorias.

6. Alcance o coração

Não faça uma palestra centralizada em você. Fale com seu público de forma próxima, criando uma empatia. Quebre barreiras e preconceitos, o que vai conquistar a confiança, conferir credibilidade à sua mensagem e inspirar pessoas.

Fique atento às reações da sua audiência. Perceba se ela está se sentindo desconfortável ou desconfiada e procure criar um clima mais descontraído. Alcançar o coração das pessoas é muito mais efetivo do que apenas atingir suas mentes. 

E você, já tentou falar em público? Gostou das nossas dicas para se tornar um bom palestrante? Quer outras ideias e sugestões para sua carreira? Então siga-nos no Facebook e confira nossos conteúdos e publicações. Nos vemos por lá! 

Você pode gostar
7 erros que você não deve cometer no primeiro emprego
Quais são os cursos profissionalizantes mais procurados no Brasil?

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This