Mudança de carreira: será que é preciso fazer outra faculdade? - Blog da MRH - Carreira, formação e ensino tecnológico no padrão MRH
Carreira

Mudança de carreira: será que é preciso fazer outra faculdade?

Talvez a sua vida profissional tenha começado assim: você terminou os estudos, criou coragem, pegou o diploma de informática e bateu em muitas portas até encontrar o primeiro emprego. Mas aí, ao encarar o dia a dia de uma empresa descobriu que a sua vocação mesmo é para outra área. E agora, o que fazer? Como dar uma guinada e apostar em uma mudança de carreira de forma segura? 

Se você está nesse dilema, não se sinta sozinho! Um número realmente grande de profissionais já passou ou passa por isso e também tem essa dúvida. Muitos têm medo de mudar porque acham que é preciso fazer outra faculdade. Será que isso é mesmo necessário? 

Quer descobrir? Então, continue lendo o post! Vamos fazer uma checklist que vai ajudar você a identificar os próximos passos para mudar de carreira e conquistar o futuro dos seus sonhos. Vamos lá?  

1. Você já definiu qual é a carreira desejada? 

Esta é uma pergunta básica, mas o fato é que muita gente não tem uma resposta definitiva para ela. Existem pessoas que querem deixar a profissão atual, mas não têm a menor ideia do que realmente desejam fazer depois. 

O primeiro passo é fazer essa definição. Busque informações em blogs, sites e guias especializados. Tente conhecer profissionais de áreas em que você tem interesse e saber como é o dia a dia deles. 

Mais que o título da profissão, é importante saber o que um profissional faz na maior parte do tempo. Ele fica sozinho ou precisa lidar com pessoas? A área exige mais trabalho de campo ou atividades internas? Que habilidades requer? 

Você pode amar a natureza, ser superligado em sustentabilidade e, por isso, achar que engenharia ambiental é a faculdade certa para a sua carreira. Mas sabia que esse profissional passa grande parte de seu dia fazendo cálculos? É isso que você quer? 

Portanto, o primeiro passo é ter certeza do que deseja. Não adianta correr para fazer a matrícula em uma faculdade sem uma definição clara das suas expectativas em relação ao futuro. 

2. A carreira dos seus sonhos exige uma faculdade específica? 

Para exercer determinadas profissões, você precisa de uma graduação específica. Esse é o caso de muitas carreiras na área de saúde (enfermeiros, médicos, fisioterapeutas, psicólogos), direito (advogados, juízes, promotores) e outros setores do mercado. 

Portanto, aqui vale mais uma vez a dica de pesquisar e buscar informação. Se a carreira que você quer exige formação específica, corra atrás dela agora mesmo. Mas, se existem outras alternativas de ingresso na profissão, descubra quais são elas. 

3. Existem outras formas de ingresso na área desejada? 

Como os profissionais chegam ao cargo ou carreira que você deseja? É por meio da faculdade? Ou eles fizeram uma graduação mais genérica — como administração, por exemplo — e depois apostaram em uma especialização? Essa é uma alternativa encontrada por muitos profissionais hoje em dia.

Você vai encontrar muitos executivos que chegaram ao topo de uma organização partindo de uma formação genérica. Eles eram administradores, engenheiros, pedagogos ou bacharéis em economia, e fizeram cursos de pós-graduação que os levaram aos cargos de CEO, diretor financeiro, de recursos humanos, de marketing… 

Existem outros cargos em que, além da pós-graduação, o profissional precisa de experiência naquela área. Isso você só vai conseguir trabalhando, criando uma rede de contatos interessante que possa incluí-lo nos projetos certos. 

Dessa forma, você pode garantir a experiência e o conhecimento necessários para começar a progredir naquela área. Portanto, não desperdice as oportunidades de formação que tem dentro da própria empresa, como profissional.

Outra forma de ingresso em determinadas profissões é o curso técnico. Ele garante conhecimentos práticos que, na maioria da vezes, não são encontrados nas graduações. À medida que esses profissionais se tornam experientes e verdadeira referência em suas áreas de atuação, eles são muito valorizados nas empresas.  

4. Existe uma formação mais específica? 

Outra forma de mudar de forma assertiva é optar por cursos mais direcionados. Por exemplo, se você viu que a sua aptidão é para gestão de pessoas, não precisa necessariamente fazer uma graduação em administração para depois se especializar. 

As graduações tecnológicas oferecidas hoje no mercado são o melhor exemplo dessa possibilidade. Elas têm duração mais curta, porém são tão (ou mais) profundas que uma faculdade convencional. Como conseguem isso? 

As faculdades criam esses cursos de maneira muito focada. Assim, em vez de passar semestres inteiros com noções teóricas gerais, ela só aborda as disciplinas referentes à área em que você deseja atuar. Quer um exemplo? 

Vamos pensar novamente na possibilidade de uma carreira em gestão de recursos humanos. No processo tradicional, você começaria com uma faculdade de administração de empresas.

Ao longo do curso, você teria matérias que abrangem todos os aspectos da gestão de um negócio: administração geral, economia, legislação, marketing, gestão financeira, gestão de recursos humanos etc. 

Por um lado, você teria uma visão mais ampla do funcionamento de uma empresa, mas também é preciso considerar que a maior parte dos alunos tem contato com essas matérias apenas por um ou dois semestres, o que dá uma noção superficial. 

Aí, ao sair da faculdade e decidir trabalhar com gestão de pessoas, o profissional precisa recorrer urgentemente a uma especialização, pois ele adquiriu princípios básicos, e não um conhecimento aprofundado.

Na graduação tecnológica, é diferente. Se o aluno optar por gestão de recursos humanos, toda a grade é direcionada para essa área. Assim, ele fica menos tempo na faculdade, mas sai com um conhecimento mais aprofundado, encurtando o caminho entre a realidade de hoje e o sonho de amanhã. 

5. Como aumentar as chances em uma nova área? 

A resposta para isso é estudo! Independentemente da sua escolha, é preciso entender que, para conquistar espaço no mercado, é essencial ter um diferencial em relação aos outros candidatos.

Por isso, ao descobrir que precisa de um curso técnico, uma graduação tecnológica, uma faculdade convencional ou uma pós-graduação, busque formação em uma instituição de renome no mercado, devidamente autorizada pelo MEC.  

A boa reputação de uma instituição significa que ela já entregou ao mercado profissionais com formação teórica e prática muito sólida, que permitiu que eles chegassem às empresas prontos para desempenhar suas funções com excelência.    

E agora, entendeu o que precisa fazer para ter uma mudança de carreira tranquila e segura? Identificou se o cargo que deseja realmente exige uma nova faculdade ou se você pode buscar outras alternativas? 

Um fato é básico: de qualquer forma, para mudar de carreira ou progredir na atual, um profissional precisa investir em aperfeiçoamento constante. Continue no blog e confira como voltar a estudar e ter sucesso nesse desafio. 

Você pode gostar
Por que um MBA pode ser considerado um investimento a longo prazo?
Quero um lugar no mercado de trabalho: por onde começar?

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This